Integração NR-18

Numerosos estudos sobre segurança mostram que os operários novos têm quase que duas vezes mais probabilidade de sofrer acidentes do que aqueles com mais experiência. Porém, devemos entender que experiência não significa a quantidade de anos que a pessoa trabalhou, pois, muitas pessoas possuem um ano de experiência, repetidos durante outros tantos anos por atitudes e comportamentos iguais ou inseguros.

Portanto, a preparação profissional constitui-se em um dos instrumentos de “ponta” para o estabelecimento do equilíbrio necessário entre as questões de produção, qualidade, segurança, e saúde no ambiente de trabalho. O Programa Educativo deve ser constituído para transmitir aos obreiros os regulamentos de Segurança do Trabalho, reativar entre os colaboradores e subcontratados algumas posturas básicas para uma harmonia entre as peculiaridades do local de trabalho, a tarefa a ser desempenhada e o comportamento a ser adotado.

Desavisado, ou muitas vezes por falta de informação, o colaborador tem o mau hábito de não usar o equipamento de proteção oferecido. Sempre que é possível deixa-o de lado, alegando que é incômodo. Em relação a estas atitudes, devemos esclarecer as pessoas, de que elas devem mudar certos comportamentos impróprios, aos quais se acostumaram, por isto é preciso orientá-las.

Todo colaborador admitido e/ou contratado deverá receber uma capacitação admissional, antes de iniciar suas atividades no canteiro de obras, a qual chamamos de integração. Os treinamentos devem ser registrados e disponibilizados para consulta dos órgãos competentes ou no caso de terceiros, para consulta da contratante.

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Fale com nossa equipe